sexta-feira, 23 de junho de 2017

Confusões romântico-literárias

O Fernando Namora, mas o Jorge é que é Amado. Já o Outro Fernando nunca teve Pessoa que o amasse, enquanto o Miguel outorga o seu dever de amar.
Então e a capacidade de amar arrebatadoramente afinal de quem é? Ah, Eça é de Queirós!

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Chamem um especialista

No dia de ontem, o Jornal de Notícias contava a história de um empresário, a quem haviam sido requisitadas seis máquinas de rasto para o combate ao incêndio de Pedrógão Grande, que estava a ser impedido pelas autoridades de chegar próximo dos seus trabalhadores e assim levar alguns mantimentos aos extenuados funcionários.
Escrevia então o conhecido jornal na sua edição online o seguinte: «Um empresário a quem foram requisitadas seis máquinas de rastos para a ajuda no combate aos incêndios que lavram no norte do distrito de Leiria está retido há cinco horas na zona da Picha, concelho de Pedrógão Grande, porque as autoridades não o deixam passar para ir levar água e comida aos funcionários».
Eu não sei como é que isto se vai resolver, mas recomendo que se chame um urologista. Parece-me o único tipo de profissional capaz de solucionar o problema, uma vez que é de retenção urinária que estamos a falar.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Aprendeste umas coisas, mulher!

A cobrir jornalisticamente os terríveis acontecimentos de Pedrógão Grande, Judite de Sousa tem sido alvo de duras críticas por fazer reportagem perto de um corpo carbonizado e apenas tapado com um lençol branco, que o operador de câmera que a acompanhava insistia em filmar.
Concordo que a jornalista da TVI está a merecer cada gotinha de veneno que é atirada na sua direcção. É de um desrespeito imensurável e nada justifica a decisão tomada por uma jornalista da sua craveira e por alguém que viveu o drama da perda de um filho há tão pouco tempo.
No entanto, há uma pergunta que não para de bailar na minha mente. É a seguinte: onde raio terá Judite ganho tanto à-vontade perto de um cadáver? Eu não quero equivocar-me, mas estou em crer que esta "qualidade" foi adquirida ao viver durante tantos anos com Fernando Seara, um verdadeiro morto político.

domingo, 18 de junho de 2017

Aldrabão desde pequenino

Fábio Coentrão, jogador do Real Madrid, vai assinar um contrato de empréstimo de uma época com o Sporting. Ao que tudo indica, é o regresso a Portugal do lateral-esquerdo que foi formado no Rio Ave e representou o Benfica. Foi inclusivamente de águia ao peito que viveu os momentos mais altos da sua carreira até ao momento, tendo jurado por diversas vezes amor eterno ao clube da Luz.
Com esta transferência para o rival do tetra-campeão nacional, Coentrão prova que o seu cartão de Sócio do Benfica é tão válido como a sua carta de condução.
(P.S.: aligeirar um bocadinho o dia que foi tão triste para todos nós. Com a cabeça em Pedrógão Grande)

terça-feira, 13 de junho de 2017

Santos da casa fazem milagres, mas só no que lhes compete

É no dia de Santo António que se conhece a formalização da acusação a Cristiano Ronaldo por fraude fiscal ao Estado espanhol. O que há já algum tempo se suspeitava é agora consubstanciado com números: 15 milhões de euros não declarados entre 2011 e 2014.
Não deixa de se estranhar esta coincidência. Santo António até tem um ponto de afinidade com CR7. O frade é representado com um menino ao colo cujo pai é incógnito, assim como o madeirense apresenta filhos cujas mães ninguém sabe quem são.
No entanto, e olhando para o caso com mais atenção, existem alguns indícios que apontam no sentido de existir algum azedume entre o santo e o astro do futebol. Então não está o careca fartinho de encontrar meninas capazes de contrair matrimónio com o filho da dona Dolores e o rapaz nada? Ora é evidente que a descredibilização da agência matrimonial do Toni se deve ao Ronaldo, claro.
É muito bem feito que não o proteja e o tenha deixado cair precisamente no dia de hoje. Aliás, sendo o santo padroeiro dos casamentos, ninguém pode obrigá-lo a ser o santo padroeiro dos abotoamentos.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Quem não sabe trabalhar a comunicação...

Quase duas semanas após os trágicos acontecimentos em Manchester, Ariana Grande deu o seu primeiro espectáculo em Portugal. Aparte antes de continuarmos: a Ariana tem tanto de Grande como o Diogo Feio tem de bonito e o José tem de Fidalgo. Ministrada a dose de bullying do dia, prossigamos.
Foi ao final da tarde de ontem e, como seria de esperar, as medidas de segurança foram extremamente apertadas.
A promotora do evento, a Everything is New, teve o cuidado de divulgar antecipadamente uma nota na qual constava uma lista de objectos que não poderiam entrar no MEO Arena e que passo a replicar:
- mochilas, câmaras fotográficas, "selfie sticks" e garrafas;
- "correntes metálicas e qualquer objeto pontiagudo", 'trolleys', "lanternas, laser e powerbanks" e "cadeiras de qualquer tipo";
- caixas e recipientes com comida, bebidas alcoólicas, drogas e seringas, chapéus-de-chuva, qualquer tipo de arma, material explosivo e pirotécnico, e ainda latas e copos.
E o que é que aconteceu? Nada. Rigorosamente nada! Nem uma naifada, nem um tiro para o ar, nem uma pedrita disparada de uma fisga, nem um rebentamento de bombinha de mau cheiro. Nada de nada! Compreenderam, senhores polícias aí de Inglaterra? É escusado continuarem a tentar perceber o que falhou para deixarem um maluco rebentar-se à porta de uma sala de espectáculos. O que vos falta é uma Everything is New, que diz exactamente às pessoas o que não é permitido levar para o interior de um recinto cheio que nem um ovo. Tivesse aquele menino lido com antecedência que não era permitido levar material explosivo e armas e nada daquilo se tinha dado. Aprendam com quem sabe, bifes!

sábado, 10 de junho de 2017

Que é que foi?

Devido à pouca atenção que lhe foi dada pelos media nacionais, acredito que a visita que Madonna fez ao nosso país seja por vós desconhecida e... hã? Ok, já parei com a palhaçada.
Pois é, a "rainha da pop" passou por cá uma bela temporada de férias e foi mais vezes vista em locais públicos no espaço de uma semana do que o "Macaco" nas aulas do ISMAI durante um ano lectivo.
Pelos vistos, a menina gostou tanto de sardinhas assadas e couratos que está danadinha para se mudar de armas e bagagens para cá. Diz-se que andou para aí a ver uns T0's e a escolha pode muito bem recair sobre o Convento da Trindade, em Sintra.
Nada de extraordinário. Pôr a Madonna a tomar conta de um convento seria como pôr a Madre Teresa de Calcutá a gerir o Elefante Branco... ou entregar uma sala de um infantário ao Jorge Ritto... ou mesmo colocar o António Mexia à frente da EDP.